segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Então vamos a isto

É difícil estar de volta, porque nem sei bem por onde começar. Deixei posts nos rascunhos do blogger e da minha cabeça e nem sei se os consigo recuperar. Passaram-se quase dois meses e, mais uma vez, sinto que a minha vida deu uma volta de 360º (talvez agora volte ao que era?). O meu último post tinha sido escrito no dia 13 de outubro, uma sexta-feira, e no dia seguinte tudo mudou outra vez. Desde então estive em pausa, pus a vida em suspenso e esperei. Naquele dia tinha duas opções, podia ficar feliz ou apavorada. No entanto, acabei por não ter escolha: fiquei apavorada. E ainda bem, porque assim tem sido mais fácil lidar com o pavor que se tornou realidade. Podia contar-vos com todas as palavras o que tem acontecido no último ano da minha vida, mas não tenho coragem. Acho que vocês compreendem, quem está desse lado há algum tempo já me conhece o suficiente para saber que sou reservada (um bocadinho de mais).

Isto para dizer que sim, é difícil estar de volta, mas aos poucos pode ser que tudo volte ao normal. Não prometo que este blogue seja o mesmo, porque eu certamente já não sou. Mas continuo a gostar muito de escrever e de vos ter desse lado :) Obrigada a todos pelos comentários no último post, isto sem vocês não tinha piada nenhuma!

domingo, 10 de dezembro de 2017

Ainda se lembram de mim?

Estou de volta. A vontade era manter-me desaparecida durante mais uns 10 anos, mas diz que os dias continuam a passar e não serve de nada continuar à espera que as coisas se resolvam para voltar a aparecer. Passei um mau bocado durante as últimas semanas (meses?), e isso fez-me desistir de muita coisa — mas não dos dias. E hoje é o dia mais especial do ano, sempre foi e sempre será. Hoje cheguei aos 27 anos, o que me prova que por mais que eu precise, o tempo não vai ficar à espera da minha autorização para continuar a passar. 

Há uma coisa estranha nisto de fazer anos. Tal como quase todas as pessoas, também eu temo a passagem demasiado rápida do tempo. Também eu sinto nostalgia de deixar os anos que já tive para trás e medo de que esteja tudo a passar depressa demais para que eu consiga acompanhar. Mas — é aqui que entra a parte estranha — sempre que chega este dia eu sinto-me preparada para abraçar a nova idade que aí vem. Sempre que se aproxima o dia 10 de Dezembro eu começo a sentir-me dentro do novo número: sinto realmente que é aquele o meu número. E, neste preciso momento, posso dizer-vos que me sinto perfeitamente uma miúda de 27 anos. Os 26 ficaram no dia de ontem e nos 364 que o antecederam. Hoje chegam os 27 e eu sei que vou gostar de os viver, apesar de todas as coisas más que têm acontecido e que podem vir a acontecer. Apesar de ter quase 30 anos e ainda me sentir uma miúda. Porque sim, eu abraço com facilidade a minha nova idade, mas garanto-vos que nunca vou deixar de ser miúda. Isso é um problema que nenhum 10 de Dezembro vai conseguir resolver.

Sintra, 9 de Dezembro de 2017

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Studio Collection by Zara

Chegou uma nova colecção Studio da Zara e tem peças mesmo giras. O problema é que precisava provavelmente de vender um rim para conseguir comprar tudo o que gosto. Por isso, vou ficar-me pelo amor ao sobretudo da 5ª fotografia — um amor que provavelmente não será correspondido, porque é caro e ao que parece já não há S.



No meu iPod #134

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Férias em... Andorra #1

Já passou tanto tempo desde as férias em Andorra que já tenho quase vergonha de publicar isto, mas aqui vai! Expliquei neste post como chegámos a Andorra, mas agora vou dar mais pormenores e explicar mais ou menos o que andámos a fazer por aquele país maravilhoso.Vão-me desculpar a falta de fotos de qualidade, mas não levei a máquina comigo — estava de férias, não me apetecia andar com a máquina atrás e assim foi.

Marcámos tudo muito em cima da hora, mas valeu a pena, porque mesmo assim a viagem ficou mais barata do que a ida à Madeira, que comprámos com meses de antecedência. Ir a Andorra é relativamente barato e eu acho que vale muito, muito a pena. Seja no Inverno (com a neve!) ou no Verão. Fomos no pico do Verão, em Agosto, e ficámos por lá 6 dias. Ficámos muito bem instalados no Hotel Metropolis, em Andorra-a-Velha. Decidimos ir até Andorra de férias, porque queríamos conhecer os Pirinéus e acabou por nos parecer a melhor solução. Foi mesmo. Andorra é um país lindíssimo, sempre no meio de enormes montanhas e é tudo muito verde por lá — pelo menos no Verão. Andorra-a-Velha tem montes de lojas e é até bastante conhecida para ir às compras, uma vez que é tudo mais barato por lá. Só para terem uma ideia, as lojas de fast fashion (Zara, Pull&Bear e afins) têm tudo 20% mais barato do que no resto da Europa. Durante os 6 dias conseguimos ver muita coisa. Logo no primeiro fomos conhecer a Caldea, que ficava a uns 2 minutos a pé do nosso hotel. A Caldea é a maior estância termal da Europa e é só um paraíso para quem precisa de descansar e desfrutar de água quentinha. Fomos logo no primeiro dia, porque vínhamos muito cansados dos passeios por Barcelona e da viagem de carro. Depois de 3h a marinar, fomos então conhecer a cidade. Adorei as ruas principais, com montes de lojas e sempre muita gente a passear (mas nunca demasiada gente), junto ao rio Valira, que anda sempre por perto. O nosso hotel ficava mesmo ao lado de uma zona do rio que tinha uma cascata e adorava ouvir aquele barulhinho logo de manhã. Andorra-a-Velha é uma cidade muito pequenina que se pode, sem dificuldade, fazer toda a pé e foi o que fizemos — várias vezes! O país (ou principado) também não é muito grande e fomos conhecendo-o todos os dias que por lá andámos.

Ficam as fotos do primeiro dia :) Voltarei com o resto do relato.