quinta-feira, 31 de março de 2016

Promoções bem boas

A SheIn, uma loja online da qual já recebi várias pecinhas giras, tem durante todo o ano várias promoções óptimas para quem quer coisas giras a um preço muito simpático. Mas neste momento - e até dia 4 de Abril - oferece ainda 40 ou 45% extra de desconto em peças seleccionadas (podem ver todas aqui). Durante as próximas horas a loja oferece ainda portes grátis. Eu fui espreitar algumas e mostro-vos as minhas preferidas.

1 - aqui
2 - aqui
3 - aqui
4 - aqui
5 - aqui
6 - aqui

Fui a uma aula de Zumba pela primeira vez

Lembram-se quando disse aqui que nunca tinha feito Zumba? Pois, já não posso dizer isso. Por culpa da minha irmã e porque quero começar a ir mais frequentemente ao ginásio, ontem dei por mim numa aula de Zumba. Até então o que eu sabia sobre esta prática era que se trata de espécie de dança misturada com ginástica que queima umas 50 mil calorias por hora. Não tinha bem noção que era uma modalidade frequentada maioritariamente por pessoas com mais de 80 anos. Mas isso é apenas um pormenor. Admito até que fiquei um bocadinho mais descansada, não seria a única pessoa completamente descoordenada da aula. O problema é que a aula começou a apercebi-me que até as velhotas faziam aquilo melhor do que eu. Confirmo: é uma espécie de ginástica dançada com muitas coreografias diferentes conforme a música que esteja a dar. Acho que durante 1h de aula deram umas 30 músicas e cada vez que eu estava a apanhar a coreografia mais ou menos bem, vinha uma música nova e mudava tudo outra vez... Mas pronto, assim que me apercebi que aquilo é tudo menos para ser levado a sério e que o que interessa mesmo é mexer o rabo, tentei divertir-me. Segui os passos que consegui, todos para a direita e eu para a esquerda (vocês já sabem que confundo as duas), sempre a pensar que devia era ter ido correr, que ao menos ainda consigo coordenar os dois pés enquanto o faço. Vá, até foi giro e sou capaz de ir mais vezes, até porque devo ter queimado as calorias todas do mês de Março, ou não?

quarta-feira, 30 de março de 2016

Coisas giras

Estou um pouco desiludida com as novas colecções no geral, mas a Springfield continua a surpreender-me pela positiva. Que coisas tão giras.


Estar desempregada

Como saberão os mais atentos, fiquei desempregada há cerca de dois meses. Nunca tinha estado nesta situação, visto que desde que comecei a trabalhar em 2013 sempre tive trabalho, felizmente. O último emprego que tive foi, sem dúvida, o que mais gostei. Adorava o que fazia, o sítio, as pessoas, sentia-me verdadeiramente em casa. Não, nem tudo era perfeito, mas gostava realmente de lá estar e queria ter continuado. Mas a vida mete-se à frente, assim como a conjectura actual do país e pronto, tive de sair. Foi realmente difícil, já aqui tinha partilhado convosco. Fiquei em baixo, custou-me mesmo muito, mas levantei-me e bora lá, que a vida continua e para a frente é que é caminho. Comecei então a busca por um novo emprego, porque apesar de ter muito com que me entreter com a pós-graduação e mil outras coisas, eu gosto mesmo é de trabalhar. Tenho enviado currículos e ido a algumas entrevistas. A parte das entrevistas custa um bocadinho, porque sou naturalmente tímida e é difícil falar de mim com alguém que não conheço, mas penso que acabo por me adaptar. Mas o mais complicado é ver os dias a passar e nada a surgir. Esta espera interminável por que algo de bom aconteça. Não perco a esperança, até porque a minha irmã está mais ou menos na mesma situação e tenho de lhe dar força. Estamos juntas nesta luta. Nós as duas e muitas outras pessoas, algumas com certeza desse lado. As coisas demoram tempo, mas acredito que algo irá surgir. Força para todos os que estão nesta mesma situação e estejam à vontade para partilhar as vossas histórias e dicas espectaculares para esta luta tão difícil.

terça-feira, 29 de março de 2016

De volta à escola #12

Começa na sexta-feira uma nova época de exames (a terceira de 4) e também a fase de entrega de tooooodos os trabalhos. E eu aqui com uma vontade de me enfiar no sofá a enfardar amêndoas e a ver séries. Mas pronto, já tenho as mil coisas para estudar impressas e as canetas preparadas para começar a estudar à séria e a dar corda aos trabalhos. Isto vai lá. Assim espero.

segunda-feira, 28 de março de 2016

Um bocadinho desiludida com as novas colecções (e ainda bem)

Andei a espreitar os sites do costume, porque nas lojas nem tenho metido os pés, e juro que me pareceu mesmo que estava numa espécie de regresso ao passado. Todas as coisas que vi me pareceram iguais a peças que existiram o ano passado... Cópias autênticas. E o que há de novo é quase tudo horrível. Mas ainda bem, é da maneira que não fico triste por não poder comprar nada.

Adidas x Farm

Adoro esta colecção da Adidas em parceria com a Farm! Está mesmo tão gira.


quinta-feira, 24 de março de 2016

Review #8: champô e máscara Ultra Suave


Sou provavelmente a pessoa menos fiel no que toca a produtos para o cabelo. Já usei champôs muito caros e outros bem baratos. Já usei para alisar e para encaracolar. Produtos de cabeleireiro e outros de supermercado (caso deste). De todas as marcas e feitios. Às vezes penso que descubro "o tal", mas passado uns tempos deixo de gostar. Acho que o couro cabeludo acaba por criar habituação e deixa de fazer tanto efeito. Ou então sou só eu que sou esquisitinha... É provável. Mas neste momento comprei a gama Delicadeza de Aveia da Ultra Suave e tinha mesmo que vos falar dela, porque estou rendida. Comprei apenas o champô e a máscara. Há anos que não uso amaciador, desde que a minha cabeleireira (que entretanto já não o é) me disse que em cabelos grossos se deve usar máscara e em cabelos finos amaciador. Como sinto que resulta muito melhor no meu cabelo e que o amaciador não faz nada, optei por cumprir o que ela me aconselhou. Mas voltando a esta gama. É indicada para cabelos delicados, com couros cabeludos sensíveis e diz deixar o cabelo hidratado e sem pesar. Tudo coisas que me agradaram muito quando fiquei a saber e me levaram a querer experimentar. Posso dizer que ambos os produtos cumprem muito bem a sua função, o meu cabelo fica bem mais leve (e olhem que pesa uns 20kg) e visivelmente hidratado. Está bem que o facto de o ter cortado há uns dias também ajuda, mas já estava a usar estes produtos antes e já tinha notado grandes melhorias. Para além disto tudo, há ainda uma coisa que me deixa super feliz com estes produtos que é... o cheiro! Sempre adorei o cheiro dos produtos da Ultra Suave, mas esta gama está especialmente boa nesse aspecto. Não é só durante o banho que se sente, mas também depois de ter o cabelo seco. Eu ainda sinto o cheirinho no dia seguinte, e é tão bom. A sério. Estou fã. Mas garanto que não será durante muito tempo. Vamos ver.

Look #94: hello spring

Diz-se por aí que a Primavera já chegou, mas sinceramente ainda não dei por ela. O tempo parece que anda um bocadinho confuso. Só esta semana já tivemos: chuva a potes, granizo, trovoada, sol radiante e um calor do caraças. Eu admito que já estou fartinha de botas, casacões e camisolas quentes. Mal posso esperar pelos looks mais leves e frescos, por isso este já vem um bocadinho na onda da Primavera, para ver se ela aparece de vez. O casaco é um bomber jacket, uma peça que, ao que parece, vai estar em altas nesta estação. Este já é bem antigo, mas voltei a ir buscá-lo para usar agora. As calças e a camisola são da Springfield e já são da nova colecção (links no final do post). As fotos não são as melhores, mas foi o que se conseguiu arranjar. De qualquer forma, espero que se perceba a ideia!


quarta-feira, 23 de março de 2016

Alguém escreveu o que eu penso


O facto destes ataques se estarem a tornar um "hábito" assusta-me mais do que tudo. Medo que se torne tão banal que já ninguém quer saber. Isto não é banal, não é normal que estas coisas aconteçam. Viver com medo não é solução, eu sei. Mas fingir que foi apenas mais um acidente de carro também não.

terça-feira, 22 de março de 2016

Évora

Como não tenho tido propriamente muito tempo livre, ainda não tinha conseguido mostrar-vos as fotos do meu fim-de-semana por Évora (a não ser as dos looks). Mas elas estão aqui, finalmente! Évora é uma cidade bem bonita, mas não tem assim muita coisa para ver, mesmo assim consegui andar uns 20km enquanto por lá andei. Eu já lá tinha estado algumas vezes, por isso já conhecia o Templo de Diana, mas desta vez visitei ainda a Igreja de S. Francisco e a Capela dos Ossos que já queria conhecer há algum tempo. A Capela dos Ossos é demais. Assusta, deixa-nos a pensar e a olhar uma e outra vez, espantados, para aquela quantidade enorme de ossos ali posta. Fui ainda ver o Cromeleque dos Almendres que fica a cerca de 13km de Évora, um dos maiores e mais importantes monumentos megalíticos do mundo, onde se podem ver cerca de 90 monólitos. Gostei muito.


TAG: Completa a frase


Ora então parece que fui nomeada para uma TAG pela querida Bruna, de quem eu gosto tanto, do blogue A Gata de Saltos Altos, por isso não podia mesmo deixar de responder. Ouviste Gata? Os teus desejos são ordens! Vamos a isto? Bora lá.

1- Sou muito... sensível, refilona, sincera, anti-social, amiga dos meus amigos, reservada, perspicaz.
2- Não suporto... pessoas no geral. Só tenho paciência para as minhas pessoas.
3- Eu nunca... fiz zumba. Devo ser a única pessoa no mundo, não?
4- Eu já briguei... mas muito pouco. Detesto discussões. Normalmente dou o braço a torcer e peço desculpa, mesmo que não tenha toda a culpa.
5- Quando era criança... brincava na rua, com os amigos que fazia a toda a hora, gostava muito de ler e de ver desenhos animados bem cedinho.
6- Neste momento exacto... estou a utilizar a cama como se fosse um sofá, encostada numa almofada gigante, de pijama e manta a escrever este post.
7- Eu morro de medo de... não saber o que aí vem. Do futuro, do incógnito, da imprevisibilidade da vida, das coisas todas que podem correr mal.
8- Eu sempre gostei... de escrever.
9- Fico feliz... quando estou com as pessoas que mais gosto neste mundo.
10- Se eu pudesse... tornava tudo melhor para as pessoas que mais amo. Tudo mais simples e sem tantas chatices.
11- Se pudesse voltar atrás... não tinha sido tão ingénua em certas coisas. Teria percebido que nem toda a gente é como eu.
12- Adoro... ouvir música bem alto. Conduzir o meu carro. Viajar. Ter dias sem horários. Ir à praia. Correr. Andar de patins. Passear a minha querida Maisie. Ir às compras com a minha mãe. Visitar a família.
13- Eu quero muito... que este mundo seja melhor. Que as pessoas percebam que há coisas tão mais importantes, que pensem menos no seu umbigo e mais no bem de todos.
14- Eu preciso... de um emprego. Mas um como deve ser, se faz favor. Eu até mereço.
15- Não gosto de ver... idosos sozinhos, perdidos, tristes, doentes. Fico mesmo sem chão.

Espero que tenham gostado e quem tiver blogue sinta-se à vontade para responder. É uma TAG bem gira! Depois mostrem-me nos comentários os vossos posts para eu ir espreitar :)

segunda-feira, 21 de março de 2016

Amor-ódio pelo Spotify

Eu adoro o Spotify, acho que foi uma das melhores invenções dos últimos tempos. Porque nos permite ter sempre música, todas as músicas, sem a complicação de andar a comprar CDs (ahahah) ou a sacar torrents (versão bem mais realista). Desde que tenho Spotify praticamente nunca mais saquei músicas, tenho no PC e no iPhone, por isso oiço sempre por lá. Agora a parte do ódio... detesto os anúncios, irritam-me profundamente quando a única coisa que quero é ouvir música. E detesto que não me deixem mudar de música as vezes que bem me apetecer no telemóvel. É algo para me deixar mesmo fula, acreditem. E agora vocês dizem, e com razão: se não gostas dessas coisas paga e compra a versão Premium. Pois... o problema é que eu queria mesmo comprar, mas não consigo. Nunca aceitam o cartão de crédito que ponho e pronto, aqui fico eu com a versão ranhosa e que não me deixa ouvir o que bem me apetece, quando me apetece.

Look #93: jeans jumpsuit

Eu adoro macacões e jardineiras, por isso quando a SheIn me disse para escolher uma nova peça fiquei de olho nestas jardineiras de ganga (que entretanto esgotaram, mas vejam mais do género aqui). Já tenho umas em calções e por isso queria umas deste género. Tive algum medo que o S não me servisse, que isto das gangas é sempre um bocadinho difícil de saber como vai ficar... Mas quando as jardineiras chegaram vi logo que o tamanho estava perfeito e tive apenas de encaixar aquelas fivelas da parte de cima que vinham desmontadas. Ainda antes de as ter já tinha pensado em conjugá-las com ténis, até porque não me parece que seja uma peça muito versátil. Gosto de vê-las com ténis e talvez fiquem bem com sandálias no Verão. Conjuguei-as com um crop top e pus um casaco mais quente por cima. No geral, gostei do resultado final, principalmente tendo em conta que não é uma peça propriamente fácil, mas resultou num look confortável e bom para passear.


Olá Primavera! Olá alergias!

sábado, 19 de março de 2016

Olha eu na NiT!


Dia do Pai

Ser pai é estar presente sempre, nos bons e maus momentos. Ser pai é ver-nos crescer e crescer ao nosso lado. É dizer-nos as coisas que não queremos ouvir mas muito raramente, porque se gosta tanto e, afinal, somos as suas meninas. Na verdade, eu não sei se ele é o melhor pai do mundo, mas sei que é o melhor do meu mundo. ❤

sexta-feira, 18 de março de 2016

Hoje foi dia de ir ao cabeleireiro

E, como sempre, estou com mixed feelings em relação ao resultado final. Queria cortar essencialmente as pontas, mas já se sabe que os cabeleireiros se entusiasmam sempre um bocadinho demais. Por isso, lá se foi um bocado mais do que as pontas, também com o objectivo de ficar com um corte mais a direito. Como já achava o meu cabelo demasiado ruivo, decidi também fazer um banho de brilho, gloss ou lá como se chama. Basicamente o cabelo ficou quase na minha cor natural, mas sem ser preciso fazer coloração. Este brilho vai acabar por sair e volta a cor que estava, mas como está mais curto é provável que já não fique tão ruivo. Aqui fica o resultado final, digam de vossa justiça.


My Fit Self Challenge: actualização

Falei-vos do My Fit Self Challenge aqui e, entretanto, já passou mais de metade do mês de Março. Por isso, venho-vos actualizar como tem sido até agora esta experiência. Continuo a fazer as minhas corridas, como vos vou falando aqui pelo blogue e tenho tentado (tentado!!) ser mais saudável na minha alimentação. Como já vos tinha dito, não sou muito regrada e tenho esta tendência enorme de comer porcarias, chocolates então... É melhor nem falar sobre isso. Mas durante este mês tenho tentado ter sempre presente na minha cabeça este desafio e tentado, o melhor que consigo, comer de forma mais saudável. Também opto sempre por subir escadas em vez de andar de elevador, até porque detesto elevadores e faço exercício sempre que consigo, as minhas corridas principalmente. Beber água nunca foi um problema, mas tenho-me esforçado por continuar a beber muita água, optando mesmo por beber água em vez de sumos. Tenho perfeitamente noção que as minhas maiores dificuldades são reduzir nos doces e noutro tipo de porcarias e também ter um horário mais regrado a fazer as refeições. Tenho esta mania de ficar horas e horas sem comer. E agora estando desempregada ainda é pior. Não tenho horários, mas tenho sempre algumas coisas para fazer e ando sempre de um lado para o outro... O que torna tudo muito mais complicado, sem uma rotina para cumprir. Mas vá, tudo se faz e tenho-me esforçado por isso. Hoje por exemplo almocei a horas decentes (13h40) e comi esparguete tricolor com tofu e fiambre de perú.

Um pequeno aparte: hoje foi também dia de cortar o cabelo e escurecê-lo um pouco. Depois mostro!

O mistério das bolhas nos dedos

Antes de mais deixem-me que vos diga que se há coisas estranhas a acontecer, garanto-vos que elas estão a acontecer comigo. Eu sou um poço de maleitas estranhas e sem explicação. Por isso mesmo já desisti de ir a correr para o médico quando se passa algo estranho com o meu corpo. Não vale a pena, porque eles também não sabem sem antes me fazerem mil e um exames e no fim ficarem a saber o mesmo que no início, até porque entretanto a maleita já passou. Desde semanas a vomitar sem razão aparente, passando por pés que incham inexplicavelmente, até borbulhas pelo corpo todo que aparecem e desaparecem como se nada se passasse. Já tive de tudo um pouco. Mas ora então qual é a última das últimas? Pois bem: bolhas que me aparecem, a toda a hora, na ponta dos dedos. Bolhas na ponta dos dedos... Céus, que nem sei por onde começar. Talvez pelo início? Isto começou a acontecer há algumas semanas, quando comecei a sentir pequenas bolhas nos dedos e as comecei a rebentar (tão esperta que sou). Rebento-as e depois fico praticamente com a ponta dos dedos em carne viva. Muito, muito agradável. O problema é que não foram duas ou três. Foram - e ainda são - umas mil. Já lhes perdi a conta entretanto. Só sei que continuam a aparecer, e eu rebento-as e pronto, ando aqui com os dedos numa lástima que nem vos passa pela cabeça. Já não bastavam as frieiras que teimam em morar nas minhas mãos durante todo o Inverno, ainda tinham de aparecer bolhas sabe-se lá de onde ou porquê. Digam-me, por favor, que isto tem uma qualquer explicação, ou que já vos aconteceu, quero mesmo sentir-me um pouco mais normal. E deixar de ter bolhas já agora.

quinta-feira, 17 de março de 2016

Be my guest

Quem se põe a escrever num blogue, a partilhar fotos e outras coisas pessoais, põe-se a jeito para ouvir o que quer e o que não quer. Por acaso não me posso queixar muito, que não recebo muitos comentários mauzinhos. E atenção que não estou a falar de críticas construtivas, essas são recebidas de bom agrado. Estou a falar daqueles insultos mesmo brutos, ditos sem qualquer comedimento, coisas que vejo por essa blogosfera fora e que até já recebi, poucos é certo, mas recebi. Deixem-me que vos diga que comentários desses eu aprovo, mas não lhes ligo muito, dou-lhes a importância que merecem. Recebo alguns assim meio disfarçados, pessoas que tentam criticar, mas com jeitinho a ver se passa e ninguém nota. Só que eu noto. Eu já ando nisto de aturar pessoas há uns quantos anos e percebo esse tipo de "elogios" à distância. Mas leio-os, aprovo-os e às vezes respondo. É desta parte que vos queria falar: estejam à vontade para criticar, insultar, dizer o que bem vos apetecer, com conta ou em anónimo. Eu aceito tudo, estão à vontade, mas depois não me venham criticar se vos responder à letra. É que eu tenho esta mania de ter a resposta na ponta da língua desde bem pequenina. E é uma parte da minha personalidade que continua aqui infiltrada e cada vez mais certa de acontecer. Vocês querem dizer que eu pareço um saco de batatas? Digam. Querem criticar a minha forma de vestir e perguntar se tenho um curso em consultoria de imagem? Epa, estejam à vontade, eu respondo sempre às vossas perguntas, mesmo que venham cheias de ironia. Chamem-me o que quiserem e mandem no meu blogue como se fosse vosso, a verdade é que esta também é a vossa casa. Quando o criei abri a porta para que todos vocês pudessem entrar e permito comentários a toda a gente, com nome ou sem nome. Por isso, claro que vocês estão no vosso direito de dizer bem, mal ou não dizer nada. Eu estou aqui para ler e tenho o direito de dizer também o que bem me apetece, inclusive coisas que vocês provavelmente não querem ouvir.

(Desculpem lá este bocadinho de mau humor, mas também os tenho.)

Look #92: black is the new black

Hoje mostro-vos o segundo look que usei no passado fim-de-semana quando visitei Évora. Já vos tinha mostrado este macacão aqui, mas sem grandes pormenores, porque estava bem mais frio e nem tirei o casaco. Mas desta vez tivemos direito a um fim-de-semana bem mais quente e já andei apenas com uma camisola para vestir quando estivesse mais fresco. Este macacão comprei-o nos saldos de Inverno da Zara a um preço bem simpático (não me perguntem qual que não me lembro). Juntei-lhe os ténis Stan Smith, para poder andar muito, muito, muito. Só para que tenham uma ideia neste dia andei algo como 12km.


quarta-feira, 16 de março de 2016

Já sei que preciso de uns ténis novos

Mas fui correr na mesma! Não há desculpas.

No meu iPod #86


Olha para ti e diz-me quem tu vês
Diz-me quem tu és
Não como dizem ser
Nem como querem ver
O que sai de nós saberá melhor
Faz o teu caminho
Não o meu.

terça-feira, 15 de março de 2016

Correr, correr e correr

E com isto tudo já faz mais de um ano que comecei com esta mania das corridas. Deixei-me de ginásios (praticamente) e pus-me a correr. Sem dúvida que toda a logística é bem mais fácil, mas a motivação tem que ser maior, visto que em princípio não há ninguém a puxar por nós. Admito que há dias que só vou correr mesmo puxada a ferros e começo a correr sem vontade nenhuma, cheia de dores em todo o lado, principalmente na alma. Mas depois há os outros dias, em que a companhia ajuda muito a que os quilómetros passem mais rápido e saibam muito bem. Neste momento sei perfeitamente que preciso de uns ténis, porque os que tenho já se romperam e os outros que tenho não são nada adequados, mas estou a ver se chegam dias melhores... Entretanto vou correndo, com mais ou menos dores, mais ou menos quilómetros. Aqui ficam os registos das últimas corridinhas.


Look #91: walking around

No fim-de-semana passado andei pelo Alentejo a passear, mais precisamente por Évora. Para além de visitar montes de sítios giros, que depois vos vou mostrar, aproveitei para fotografar os looks que usei. Já há algum tempo que vos queria mostrar uma pulseira tão gira que a YU - Boho Jewelry me enviou, mas ainda não tinha tido oportunidade de o fazer no blogue (já a tinha mostrado aqui no Instagram). Foi um fim-de-semana quentinho e neste dia em específico esteve mesmo calor, por isso usei apenas um colete durante o dia, mas à noite ficou mais fresco e vesti um casaco mais quente. Espero que gostem!


segunda-feira, 14 de março de 2016

To remember: to pass back through the heart #2

A última vez que tinha ido à Serra da Estrela tinha sido há muitos anos, com a escola. Escusado será dizer que já não me lembrava de nada. Não sei se a Serra está muito diferente, se as coisas mudaram muito desde então, mas para mim foi como se fosse a primeira vez a visitá-la. Havia neve e, apesar de estar frio, estava sol. As pessoas estavam todas agasalhadas com casacões, luvas, gorros, cachecóis e botas especiais. Eu? Eu fui de vestido. E diverti-me tanto. Não tive frio, fartei-me de andar e de descobrir coisas bem mais giras do que a loja de recordações ou como fazer sku. Descobri um lago em forma de coração e um caminho que nunca mais acaba. Andei por cima das nuvens e subi rochas bem altas. Caí e magoei a mão, fiquei com bolhas nos pés e rompi os collants. Trouxe algumas fotos bonitas, que agora partilho convosco.


sábado, 12 de março de 2016

Desejo de fim-de-semana

Que chegue o Verão para acabar com esta cor de lula.
(E começar a pensar em biquínis e fatos-de-banho...)


sexta-feira, 11 de março de 2016

To remember: to pass back through the heart #1

Há dias que nos ficam guardados na memória e no coração. Dias que sabemos que não vamos esquecer assim tão facilmente, mesmo que quiséssemos. Recordamo-nos da viagem, da chegada e dos passeios que demos por aquela cidade, completamente sozinhos. A sentir uma paz como nunca antes tínhamos sentido. A recordar cada passo, cada olhar, toda a paisagem. Os sons de uma cidade vazia, sem os barulhos tão característicos das pessoas, uma cidade sem ninguém. Só nós e as pessoas que estão no nosso pensamento. Sempre gostei de andar sozinha, a apreciar a minha própria companhia, o silêncio de poder andar e não falar com ninguém. Não sou uma pessoa solitária, mas sei estar sozinha. Por isso, neste dia andei pela Covilhã, só eu e a minha máquina fotográfica, a passear, a explorar e a fotografar.

(No segundo dia deste fim-de-semana fui até à neve, mas isso mostro-vos num próximo post.)


Primavera, podes vir

Eu estou mais que pronta!
aqui

quinta-feira, 10 de março de 2016

Abaixo a ditadura do arranjadinho

Eu não gosto de saltos altos, não gosto de calças a direito, sinceramente nem gosto muito de blazers. Camisas no meu roupeiro? Nem vê-las. Gosto de peças porque gosto, porque me identifico com elas. Gosto de vestidos, macacões e calções. Tudo acima do joelho, porque sou pequena e não gosto de me ver com peças mais compridas. Gosto muito de usar tops de alças e calças de ganga. Ténis, botas rasas e bem descontraídas. Gosto de acordar e vestir o que bem me apetece. Não gosto de usar maquilhagem e o meu cabelo anda quase sempre solto. É por estas e muitas outras razões que me irrita esta mania do "arranjadinho". Looks formais, tudo tão compostinho. Eu não tenho nada contra quem os usa, tenho é várias coisas contra quem acha que eu tenho de os usar. Porque eu não gosto de me vestir assim, gosto de vestir o que bem me apetece, seja um vestido ou leggings. Mas vivemos nesta sociedade que acha que quem anda de calças, camisa e blazer tem mais capacidades do que quem anda de calções e top... Pronto, é o que temos. Mas eu não gosto. Porque o que eu visto não diz absolutamente nada sobre o que tenho dentro da cabeça. Só gostava que toda a gente percebesse isso. Enquanto não percebem vou vestindo o que me apetece (com umas pequenas alterações de vez em quando, vá) e sorrio. As pessoas gostam quando sorrimos, diz-se. Com sorte esquecem-se do resto e focam-se em coisas um bocadinho mais importantes do que a porra da roupa.

quarta-feira, 9 de março de 2016

Vida

E de repente voltas a ter 19 anos e sentes tudo como se tivesse sido ontem. Porque apesar de terem passado 6 anos os sentimentos continuam iguais, estranhos e confusos, mas iguais. Tu estás diferente, as pessoas também, mas o mundo está igual e continua a ser demasiado grande para ti. Quase toda a gente que estava na tua vida já se foi embora, ou talvez tenhas sido tu que te afastaste. Mas entraram novas pessoas, que talvez valham mais a pena. Sentes que cresceste, que sabes mais coisas e a vida está um pouco mais simples. Mas há dias em que continuas a ser aquela miúda meio perdida, estranha e sem saber muito bem o que quer. Talvez o problema seja recordares o que já passou, os dias estranhos que parecem ter ficado para trás, mas que por vezes voltam à tua memória. Desejas que várias coisas não tivessem acontecido e que outras tivessem acontecido mais cedo, mas a verdade é que nunca saberias. É por isso que tentas pensar melhor nas coisas e tomar aquela que pensas ser a melhor decisão. Não só para ti, mas também para os outros, até porque te ensinaram desde bem cedo que existe todo um mundo à tua volta e o teu umbigo é o último sítio para onde deves olhar. Depois esqueces o passado e olhas em frente, porque é nesse sentido que a vida vai.

terça-feira, 8 de março de 2016

Inspiração: women's day


A SheIn tem uma selecção especial de peças para o Dia Internacional da Mulher, que se celebra hoje. Eu fui espreitar e fiquei aqui com umas pecinhas em mente. Ora vejam.

Correria

Tenho estado um pouco ausente porque ando numa correria non-stop. Não tem dado para fotografar e não tenho tido tanto tempo para dedicar ao blogue como gostaria. É por isso que sinto falta de uma rotina, é bem mais fácil de organizar tudo. Mas acredito que tudo se faz. Claro que preferia não passar metade da manhã enfiada no trânsito espectacular de Lisboa, mas há coisas bem piores claro... Entretanto, parece que hoje é Dia da Mulher e eu já cá volto!

sábado, 5 de março de 2016

Quarto

Este ano portei-me muito mal no que diz respeito a ver filmes nomeados para os Óscares. Só vi o The Revenant e o Inside Out. Mas ontem vi o Quarto (Room), um dos filmes com algumas nomeações nestes Óscares. Este filme foi inspirado no livro com o mesmo nome da escritora Emma Donoghue e conta a história de Jack, um menino que vive com a mãe num pequeno quarto. Vocês sabem que eu detesto spoilers e por isso também detesto sê-lo. É por essa razão que não vou dizer muito mais sobre a história, até porque acho que o filme se torna ainda melhor para quem não sabe absolutamente nada sobre ele. Eu já sabia algumas coisas e mesmo assim adorei. O filme está muito bem realizado e senti mesmo medo e ansiedade em algumas partes. É mesmo incrível toda a história e como tudo se desenrola. Já para não falar do pequeno actor que faz o papel de Jack de forma exemplar. Vejam, recomendo mesmo!

Acho que este vai ser o Verão dos vestidos compridos...

Pelo menos para mim.
Quero todos! (Vá, todos não digo. Mas o primeiro e o segundo...)
aqui

sexta-feira, 4 de março de 2016

Que título?

O meu pensamento bloqueia de cada vez que tento fazer o que estou a tentar. Escrever sobre isto. O meu cérebro, o meu pensamento, as palavras, tudo me foge e não parece querer ficar. Há algo a querer dizer-me que não é isto que devo fazer, não é para escrever sobre isso. Há algo de demasiado grande e importante a acontecer e alguém não quer que escrevas sobre isso. Porque quando escreves, pensas. A escrita não é mais do que os teus pensamentos a tomarem forma desenhando palavras, construindo frases. E pensar deixou de ser obrigatório, tornando-se apenas acessório. Não penses, não pares de sentir para pensar, estás a perder tempo, espaço, vida. E porquê? Porque sempre pensaste demais. Calculas, medes, prevês. Mas a vida não funciona assim, nunca funcionou. O tempo é demasiado valioso e o que estás a viver também. É isso que involuntariamente estás a fazer, sem querer, estás a tornar as coisas exactamente como sabes que devem ser. Vividas. Com a fluidez dos dias a tomarem conta dos teus pensamentos e os sentidos apurados para viveres tudo intensamente, como sabes fazer. Não vale a pena tentar explicar a ninguém, pois não? Então pára de tentar escrever sobre isso, esquece durante um momento que és aquela pessoa que escreve, porque se fores a ver... és bem mais do que isso.

New in

Estas alturas entre estações do ano são as que menos gosto, este tempo que nem é carne nem é peixe, que ora está de chuva, ora está um calor espectacular. Não gosto porque nunca sei bem o que vestir e num dia parece que vou para o Pólo Norte, noutro que vou de férias para as Canárias. Por isso já estou um bocadinho com vontade dos dias mais quentes, dias claramente quentes em que sei que não vou ser a única maluca de calções e t-shirt. As lojas já estão todas na onda de Primavera/Verão e eu fui espreitar a Pull&Bear para ver o que nos espera.
aqui

quinta-feira, 3 de março de 2016

No meu iPod #85

Look #90: my city is you

Há lugares que ganham um espaço especial no nosso coração e pensamos que tem a ver com a cidade, os sítios que visitámos ou os passeios que demos. Mas não. Esses lugares passam a ser especiais para nós por aquilo que lá vivemos. Pelas pessoas com quem os visitámos. Isto é o que sinto em relação a muitos lugares que tenho vindo a conhecer. E é o que sinto agora por esta cidade linda que me viu pela segunda vez. Fui até Aveiro pela primeira vez em trabalho e tive apenas uma horinha para a visitar e agora pude lá voltar em modo passeio e aproveitar para conhecer alguém que já queria conhecer há algum tempo. Uma pessoa que conheci através deste mundo dos blogues e com quem senti uma ligação imediata. É como ela diz, isto dos blogues tem coisas más, mas as boas também não ficam atrás. E enquanto assim for, por cá andarei.

Quanto ao look, reparei agora que todas as peças são da Zara, e trata-se de um look descontraído de fim-de-semana, quentinho q.b. que já sabem que sou uma pessoa encalorada. Mas admito que neste fim-de-semana esteve mesmo muito frio e uma ventania do outro mundo. De qualquer forma o sol sempre foi aparecendo e esteve-se muito bem.


terça-feira, 1 de março de 2016

My Fit Self Challenge

Quando a Nádia do blogue Perdida em Combate me contactou para me propor o My Fit Self Challenge eu não consegui dizer que não. E porquê? Porque apesar de fazer exercício mais ou menos regularmente (ultimamente muito regularmente como já vos disse), estou mesmo muito longe de ser a pessoa mais saudável do mundo. Sou muito esquisitinha com a comida, o que não ajuda mesmo nada. E sou gulosa... tipo muito! Acho que só me safo mais ou menos porque não adoro comer e vou fazendo exercício, mas é verdade que adorava adoptar pequenos hábitos mais saudáveis para ter uma alimentação mais equilibrada. É exactamente isso que a Nádia propõe com este desafio, que irá decorrer durante todo o mês de Março. E o que terei de fazer exactamente? Vou então mostrar-vos o que é proposto:

- Trocar o pão branco por pão integral ou de sementes; 
- Reduzir o consumo de sal;
- Reduzir o consumo de azeite; 
- Substituir o açúcar branco pelo mascavado;  
- Eliminar (ou reduzir ao máximo) a ingestão de fritos; 
- Eliminar (ou reduzir ao máximo) o consumo de junk food; 
- Aumentar as doses diárias de fruta e legumes;
- Jantar entre as 18h e as 20h; 
- Optar por uma peça de fruta na hora de dormir; 
- Beber, pelo menos, 1,5L de água por dia; 
- Manter bons hábitos de sono; 
- Fora de casa, levar sempre um snack leve para evitar lanches menos saudáveis;
- Fazer meia hora de exercício diário e aproveitar cada oportunidade para nos movermos.

Admito que alguns dos pontos serão bem mais difíceis de cumprir do que outros que até já cumpro, mas vou tê-los sempre na minha mente e tentar cumprir à risca o melhor que conseguir. Quem se junta?

Porque andas a correr tanto?

Ora... porque sou completamente doida. Ainda não tinham percebido?
(E porque ando aqui com umas ideas... depois conto!)

Look #89: my nature

É um bocadinho difícil de acreditar que estas fotos, neste sítio tão bonito e no meio da Natureza, tenham sido tiradas a pouquíssimos minutos da minha casa, mas é a verdade. A Joana conhece sempre os sítios mais giros e tem uma visão para as fotos que nunca antes vi, gosto mesmo muito (obrigaaaada!). Quanto ao look, vocês já sabem que adoro pegar em peças que são normalmente mais utilizadas no Verão e trazê-las para o Inverno, por isso fui buscar estes calções de ganga, uma camisola leve e depois acrescentei um casaco de camurça super quentinho, uns collants, umas botas e já está. Mesmo o tipo de look que adoro.