quinta-feira, 30 de junho de 2016

Diz que estes vêm a caminho dos EUA...


Espero que sejam tão lindos como aparentam. Depois mostro!

aqui à venda.

Bora lá até aos saldos #1

E se os saldos não vêm até nós, vamos nós até eles. Comecemos pela Zara, essa loja onde não posso pôr os pés para não me desgraçar.

E o que eu preciso de umas malinhas novas? Podiam vir já estas duas...

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Confissões

Olá, eu sou a Marisa e ainda não pus os pés nos saldos. Não sei se hei-de ficar feliz ou um pouco assustada. Mas sei que tenho de resolver isso rapidamente. Recomendações? Ainda se arranja alguma coisa de jeito ou já está tudo em modo feira com descontos de 1€?

Vamos praticar o ‎cyberamigging‬?

O Ricardo Araújo Pereira, de quem eu gosto tanto, decidiu lançar uma iniciativa espectacular, como sempre faz. Chama-se cyberamigging e consiste em, nada mais nada menos, do que no contrário de cyberbullying, uma prática muito comum nas redes sociais. O RAP acha que já chega dessa bandalheira e devemos dar mais amor e menos ódio. Por isso bora lá cyberamiggar? Só têm de ir até ao facebook de alguém ou de alguma página e dizer bem, distribuir amor, deixar beijinhos, o que seja! Depois, se quiserem, é incluir as hashtags (ou jogo do galo como diz o Ricardo): #cyberamigging #iniciativa.

Vamos a isso?
E se começássemos pelo facebook aqui do meu sítio? É aqui :)


Vou deixar esta sugestão em alguns blogues, mas estão desde já todos convidados para partilhar pelos vossos blogues ou facebooks!

De volta à escola #16: Finito!

Finalmente acabaram as aulas, os exames, a pós-graduação! Vá, mais ou menos, que ainda terei de ir em Setembro para, pelo menos, um exame. Mas o mais difícil já passou, sem dúvida. O momento por que esperava há tanto tempo. Ontem foi o último exame e parece que ainda não consegui acalmar a pressa de acabar, parece que ainda há-de faltar qualquer coisa, mas não. Por enquanto está feito. Vou poder voltar a correr regularmente, a ver séries, ler, escrever, aproveitar os fins de dia para passear ou simplesmente fazer nada. Que saudades disso. Vou também poder finalmente voltar a dedicar-me ao blogue como quero. Ontem, dia do último exame, foi o jantar de turma que, apesar de totalmente improvisado, até foi giro. Custou um bocadinho a despedida, porque é sempre estranho acabar assim uma etapa e pensar que aquelas pessoas vão sair da nossa vida tão rápido como entraram. Mas faz parte. Agora é só esperar pelo resto das notas e apreciar.

O blogue voltará aos posts mais regulares e estou a preparar algumas surpresas!

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Instantâneas #3

Mais um fim-de-semana passado pelo Alentejo, naquela que é praticamente a minha terrinha. Estavam cerca de 40º, mas foi tão bom. Deu para visitar a família, ver a minha grávida preferida, fazer umas comprinhas, ir a Espanha e apreciar. Agora bora lá começar a semana com a correria habitual. Boa semana!


sexta-feira, 24 de junho de 2016

Como assim 13 anos?

Ontem estreou o filme "À procura de Dory" que eu tenho de ir ver. Então estavam a falar disso na televisão, jornal da noite ou assim, e às tantas oiço dizer que o Nemo já (des)apareceu há 13 anos. Mas... como assim? É um engano, certo? Não passou assim tanto tempo de certeza. Alguém que diga ao tempo para parar de passar à velocidade da luz, isto assim não dá! É que há 13 anos eu tinha 12 anos... Raios.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Diz que vêm a caminho


Sou a condutora mais pacífica do mundo

É verdade, se há alguém que tem fairplay no mundo da condução, esse alguém sou eu. Passo demasiado tempo no trânsito o que só por si era justificação para causar em mim uma ira de mandar todos para a $@#%& que os $%&@#. Mas não. Só para terem noção do que passo, normalmente demoro mais de 1h a fazer 5km no centro de Lisboa - do trabalho para a faculdade. Sim, podia perfeitamente ir a pé ou a correr e demorar meia hora, mas não dá muito jeito deixar o carro abandonado à sua sorte. Sendo que depois disto tudo ainda tenho de ir para casa, que fica a uns 30km de Lisboa. Isto só para vos contextualizar. (Aposto que já estão com suores frios só de imaginar.) No entanto, dou por mim a ter uma calma quase irritante para o mais comum dos mortais. Ontem, por exemplo, estava parada num dos 500 semáforos do caminho trabalho-escola quando oiço um estrondo. Pensei: pronto, já foste Micra (o meu querido carro). Pensei mesmo que me tinham batido, mas entretanto reparei numa mota ao meu lado, entre dois carros, como sempre, que as motas têm a mania que são moscas ou algo do género. Ora então o que aconteceu foi que o senhor tinha pressa e pensou mesmo que ia conseguir passar a 200km/h pelo meio de dois carros, mas claramente foi alguém que não teve grandes notas a Matemática e falhou as contas. A mota tinha acabado, nada mais nada menos, do que praticamente me arrancar o retrovisor. Eu disse praticamente porque na verdade não chegou a arrancar, mas eu olhei e ele não estava lá. Continuei a olhar, com uma calma absolutamente impressionante, mas um pouco estupefacta, como se estivesse simplesmente a observar uma cena que não estava a acontecer comigo. Mas estava. Tendo em conta a porrada que a mota deu no espelho, o senhor teve mesmo de parar e então ficou a olhar para a sua obra. Como se não fosse nada, pega no espelho, que eu não conseguia ver, e mete-o no "lugar". O meu querido espelho estava lá afinal, e eu a pensar que ele tinha voado para a 2ª circular. Continuei com a minha calma espectacular (e um bocadinho estúpida), olhei para o espelho e tudo me parecia bem. O senhor da mota levantou o bracinho dizendo o que suponho que fosse um desculpa e seguiu caminho, serpenteado pelo meio dos carros e, com toda a certeza, arrancando espelhos por onde quer que passasse. Eu? Esperei que o sinal abrisse e fui para a faculdade que tinha um exame para fazer e uma linda história para contar.

Portugal é isto

Sim, o Ronaldo atirou um microfone da CMTV à água, já todos sabemos. Foi giro, foi bem feito, foi parvo, foi mal educado. Está bem. Agora podem calar-se com isso? Raios parta o Euro e a carrada de nervos que me causa. Ainda estou meio tonta com os golos todos de ontem.

(Mas gosto muito deste verde água do equipamento alternativo da selecção.)

quarta-feira, 22 de junho de 2016

A minha vida neste momento

Sabes que estás mesmo muito cansada quando vês uma barata e começas a chorar. Que pânico senhores.

Ora então vêm aí os saldos, não é?

Bolas.


Look #103: fly out past you

Some birds are not meant to be caged, that's all. Their feathers are too bright, their songs too sweet and wild. So you let them go, or when you open the cage to feed them they somehow fly out past you. And the part of you that knows it was wrong to imprison them in the first place rejoices, but still, the place where you live is that much more drab and empty for their departure.

As peças que vos mostro hoje são quase todas fruto de uma ida às compras em que o objectivo principal era comprar calções e vestidos. É mais ou menos essa a minha aposta este ano, mas já se sabe que raramente cumpro o que pretendo. Adoro a forma como os calções caem e o facto de não serem super justos, a t-shirt é básica mas tem um corte que adoro. As sandálias são para juntar à minha colecção de sandálias douradas (reparei que tenho demasiadas) e são super confortáveis. Mas a grande paixão deste look são mesmo os óculos. Já andava à procura de uns espelhados há algum tempo, porque lhes achava piada e não tinha nenhuns, mas é um modelo um pouco difícil de me agradar. Gosto de espelhado prateado e mal vi estes na Oysho, que agora também vende óculos, decidi que eram os tais. Ora espreitem.


terça-feira, 21 de junho de 2016

Exames e mais exames

Hoje mais um. Outro na sexta e mais um na próxima semana. Não tenho tempo para nada e a minha cabeça anda a mil com tantas preocupações. Ahhhhhh, tirem-me deste filme!

No meu iPod #100


Esta é daquelas músicas que não fazendo nada o meu género, acabo por dar ao pézinho cada vez que a oiço. É também daquelas músicas muito divertidas de ouvir na rádio, visto que contém mais palavrões do que outra coisa. Mas sinceramente nem percebo a necessidade de os apagar, tendo em conta que não se percebe nem uma palavra do raio da música, a não ser "Panda".

A Maisie ainda acredita!

E eu também.


Bora lá Portugal. Nós até merecemos!

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Olá Verão! Sê muito bem-vindo

Acho que estamos seguros em afirmar que finalmente chegou a estação mais linda do ano (sim, diz que é hoje!). Mas já nem meto as mãos no fogo. De qualquer forma, mesmo que Verão decida ser um desmancha prazeres, eu já estou em modo calor-que-se-farta. Há algumas semanas aliás. Sim, na semana passada fui obrigada a voltar às calças e casacos, mas nem vou contar com isso. As minhas comprinhas estão viradas para as peças mais frescas e sandálias, muitas sandálias. Por isso bora lá espreitar coisas giras e em conta, que no fundo é o que se quer.
aqui

domingo, 19 de junho de 2016

Novas aquisições

Nas minhas excursões pelo site primor.eu, que eu assumidamente adoro, decidi pedir um novo champô seco da Batiste (review aqui), mas desta vez com outro cheirinho. E um creme que afiançaram ser a melhor coisa de sempre anti-celulite. Vou começar a usar e depois digo de minha justiça.

sábado, 18 de junho de 2016

Alisamento feito

Demorou 7 horas e esgotou toda a minha paciência para o resto do mês. Às tantas já estava mesmo a desesperar. Mas já está! Ufa. Pelo que me parece até agora está óptimo, super lisinho, mas quando lavar volto a dar notícias. Quando se faz um alisamento é aconselhado não usar produtos com sal, por isso comprei o champô e máscara da gama Mythic Oil da L'Óreal, por isso teremos uma review em breve para falar deles, sejam bons ou maus. Fui ainda comprar uma nova Tangle Teezer, que é o melhor para pentear sem partir o cabelo, já tinha uma mas já está tão velhinha que nunca mais a usei.


sexta-feira, 17 de junho de 2016

Alisamento: bora lá outra vez

É já amanhã que vou fazer de novo um alisamento, quase um ano depois de ter feito o anterior. Da última vez fiz na MakeOver, mas não durou tanto como eles dizem e não ficou assim tão bem, sinceramente. Por isso, desta vez vou fazer num cabeleireiro local, onde costumo ir sempre e ver como se saem. A minha irmã já fez e ficou bem, por isso estou confiante. O maior problema disto tudo é que vai durar cerca de 30 horas a fazer. Já tenho mais de 15 revistas cor-de-rosa para ler até não conseguir aguentar mais tanta estupidez e conto levar também as coisas para estudar para o exame que vou ter na 3ª feira (já sei que me vai apetecer mais contar as moscas do que estudar, mas pronto). Vamos lá ver como corre. Depois mostro!

Parece que não entendem

Eu não quero vender o meu carro. Ele tem pouco mais de um ano, por isso é improvável que me queira ver já livre dele, não acham? Ainda nem sequer o acabei de pagar. Podem, portanto, parar de pôr  - todos os dias! - esses papéis super irritantes que eu normalmente só vejo depois de já estar a conduzir e de ter posto os limpa pára-brisas a funcionar.

No meu iPod #99



Diz que já é sexta-feira outra vez e que a minha vai ser beeeem longa.
Bom dia! :)

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Zangada com este tempo

Tinha um look para vos mostrar. Calções, t-shirt, sandálias. Mas estou tão zangada com este tempo que imagino que estejam também. Por isso vou poupar-vos (e a mim) de mostrar um look tão fresquinho quando hoje estou para aqui com roupa de Inverno.

(Mostro em breve!)

De volta à escola #15

Mais uma época de exames. É a última finalmente, mas nem isso me anima. Estou fartinha de estudar, parece-me tudo igual e ando tão cansada. Acordo cheia de sono e com vontade de dormir até às 3 da tarde. Deito-me super tarde porque quero sempre fazer tudo e mais alguma coisa, incluindo estudar até às tantas. Não dá. De notar que esta é a 4ª fase de exames que tenho. E que comecei esta Pós-Graduação apenas em Setembro, mas parece-me mesmo que foi há 10 anos. Se, por estes dias, virem alguém a cair para o lado não chateiem, sou eu que estou a tentar dormir.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Até onde vai a tua memória?

No outro dia dei por mim a tentar recordar-me qual a memória mais antiga que tenho. Memória mesmo. Nítida, vivida e sentida ainda hoje pelo meu corpo. Não aquelas memórias de momentos que sabemos que aconteceram porque já nos contaram vezes sem conta. Eu tenho 25 anos e a minha memória vai até ao dia em que a minha primeira avó morreu. Junho de 2001. Eu tinha 10 anos e a minha avó tinha ficado doente de repente alguns meses antes. Toda a minha família é do Alentejo, mas a minha avó estava num hospital em Lisboa, por isso muitos familiares estavam instalados em minha casa. Naquele dia, a minha mãe recebeu uma chamada e eu sabia perfeitamente o que significava. Lembro-me como se fosse hoje dela entrar na sala, eu olhar para ela e ela dizer apenas isto: já está. Não foi preciso mais nada, eu já sabia o que tinha acontecido. Lembro-me do que senti, de toda a confusão na minha cabeça. O que vai acontecer agora? Nunca mais a vou ver? Nem falar com ela? Nada disso fazia sentido para mim. Mas eu sabia que era isso que tudo aquilo significava. Não me lembro da última vez que a vi ou falei com ela. Lembro-me de pensamentos soltos, recordações vagas, mas nítido e tão sentido como isto, esta é a recordação mais antiga que tenho. Depois disso não me lembro muito bem dos acontecimentos, sei que não fui ao funeral porque era muito nova, sei que nunca mais a vi e isso custou-me muito. Foi neste momento que perdi a primeira pessoa importante da minha vida, o que me levou a perceber a dor da morte. Foi aí que percebi que ia acabar por perder todas as pessoas de quem gostava e isso foi o maior murro que me lembro de levar. Tenho pena que, quando a minha memória recua, vá até um momento tão doloroso, mas quando os sentimentos são mais marcantes, lembramo-nos melhor das coisas. É o que acontece comigo. A parte boa é que aprendi a lidar de uma forma matura com estes sentimentos e estas recordações. Falar sobre isto ajuda. Foi por isso que me lembrei de partilhar isto convosco e agora vos pergunto: até onde vai a vossa memória?


terça-feira, 14 de junho de 2016

Mas afinal que vem a ser isto?!

Que raio de tempo é este, senhores? Isto é lá coisa que se apresente em pleno mês de Junho! Ainda há bocado estava eu a torrar na praia e agora estou para aqui arrependida de não ter trazido um casaco. Não me gozem.


Look #102: bursts of leaves

And so with the sunshine and the great bursts of leaves growing on the trees, just as things grow in fast movies, I had that familiar conviction that life was beginning over again with the summer.


Até há bem pouco tempo eu nem olhava duas vezes para vestidos compridos. Gostava bastante de vê-los noutras pessoas, mas em mim nem sequer ponderava experimentar, isto porque não sou propriamente a pessoa mais alta do mundo e sempre achei que ia parecer um minion com um deles. Até que vi um que adorei na Zara e quando o experimentei não consegui não o comprar (podem vê-lo aqui). Desde essa altura passei a olhar para os vestidos compridos de outra forma e quando a SheIn me disse para escolher uma nova peça o meu olhar recaiu sobre este vestido branco. Pedi o XS e assim que ele chegou vi que não podia ter feito uma escolha melhor. É tão giro. O tecido é super fluido e vejo-me a usá-lo tanto num look mais formal, como mais informal. Preciso de fazer um pouco a bainha para não ficar tão comprido e conseguir usá-lo com sandálias rasas, mas de resto: aprovadíssimo. Espero que gostem!


segunda-feira, 13 de junho de 2016

Retenção de líquidos

Não faz muito bem o meu género falar sobre este tipo de coisas, mas a verdade é que acho que a minha experiência pode ser importante e ajudar algumas pessoas, por isso vamos a isto. Há mais ou menos uma semana comecei a sentir dores nas pernas, sentia-me pesada e inchada. Mas a primeira coisa que me fez reparar que algo se passava foi mesmo o desconforto e as dores que tinha ao fim do dia. Sentia uma grande necessidade de andar durante o dia, porque ficava muito desconfortável sentada. Foi então que me lembrei que o que eu sentia era muito parecido com retenção de líquidos. Inchaço, desconforto, dores nas pernas, tudo isto muito mais no fim de um dia passado sentada. Fiz então umas quantas pesquisas pela Internet e as dicas eram muito por volta disto: beber muita água, exercício, massagens, não passar muito tempo sentada. Ora eu já bebo quase sempre 1,5L de água por dia, faço exercício tanto quanto posso e tenho de passar pelo menos 8h por dia sentada (às vezes são bem mais). Mas comecei desde logo a levantar-me de vez em quando para andar um bocadinho, nem que fosse para ir buscar água. No entanto, pensei logo em ir à farmácia ou algo do género comprar um drenante. Acabei numa loja de produtos naturais, pedi opinião e comprei um drenante que se dissolve em 1,5L de água e se vai bebendo durante o dia. Custou-me cerca de 20€ e já o tomei durante 5 dias. O sabor era o que mais me preocupava, mas não é mau. A mim começa-me a enjoar um bocado, porque sabe a água com sabor e eu nunca gostei disso, mas não é nada do outro mundo. Reparei em resultados logo no primeiro dia e realmente nunca mais tive aquelas dores de pernas. Não é nada de milagroso, mas tem-me realmente feito sentir melhor e ao menos obriga-me mesmo a beber água. A retenção de líquidos é algo muito comum mesmo e é bastante provável que eu já o tivesse tido, mas nunca tinha sentido nada deste género. Deve haver por aí alguém que já sofreu ou sofre disto e que saiba mais do que eu, por isso aceito dicas, conselhos e outras coisinhas que tenham para partilhar.

Instantâneas #2

Este fim-de-semana foi dos grandes e tão bom que foi. Para quem não sabe, em Lisboa hoje também é feriado pelo que o meu fim-de-semana está a ser ainda maior. Tanto que eu precisava disto! Os últimos três dias foram passados entre preguiça e passeios, a aproveitar este bom tempo que, esperemos, chegou para ficar. Consegui fotografar uns looks para vos mostrar (já amanhã) e fui partilhando algumas fotos pelo Instagram. Ora vejam.


sábado, 11 de junho de 2016

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Casual thursday

Look de hoje, muito descontraído. Os meus preferidos!

No meu iPod #97


Ora então, uma boa quinta-feira, com sabor a sexta :D

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Review #10: mythic oil da L'Oréal

Acho incrível ainda não ter feito uma review sobre este produto, tendo em conta que o uso há anos e anos. Então e de que se trata? Não é nada mais, nada menos do que um óleo para o cabelo. Existem vários no mercado e eu já experimentei muitos, mas este é sem dúvida o melhor que já usei. Coloco-o todos os dias, tanto no cabelo molhado como seco, e a verdade é que basta este produtinho para o meu cabelo ficar logo com melhor aspecto e menos em modo juba. O pior, até há pouco tempo, era mesmo o preço, visto que este produto se vende exclusivamente em cabeleireiros e chega a rondar os 30€. Mas aqui há umas semanas lembrei-me de espreitar o preço na Primor e... custa 11€! Na altura encomendei logo dois e ainda bem, porque entretanto queria pedir o champô e a máscara da mesma linha e tem estado sempre esgotado. É mesmo difícil de apanhar este óleo e os restantes produtos, por isso se os encontrarem disponíveis é largar tudo e agarrar logo. Como se fossem os saldos da Zara.

aqui

terça-feira, 7 de junho de 2016

Vou ter de adquirir mais uns Adidas...

A Adidas decidiu pegar no modelo Gazelle, que é um pouco esquecido em relação aos Stan Smith e Superstar, e lançá-lo em 53 novas cores. Eu sempre gostei muito deste modelo, mas nunca houve nenhuma cor que me chamasse realmente à atenção. Até agora. Porque eu quero muito estes aqui em baixo. É muito amor.

Look #101: yellow submarine

In the town where I was born
Lived a man who sailed to sea
And he told us of his life
In the land of submarines

So we sailed up to the sun
Till we found the sea of green
And we lived beneath the waves
In our yellow submarine

Mais um look pela Arrábida, mais umas sandálias novas que encomendei da Asos. Estas eram as minhas preferidas, tanto que pedi o 37, porque não havia o 38. Felizmente servem-me, mas podia ter corrido mal. É que eu ora calço um número, ora outro, por isso é um pouco complicado pedir sapatos pela Internet, mas felizmente correu tudo bem. As sandálias são confortáveis, mas não tanto como as outras. De resto, um look muito à Verão, com peças mais ou menos antigas, mas como o amarelo continua a ser das cores mais giras para esta altura do ano, aqui está ele. E olhem que eu era daquelas que implicava (e muito) com o amarelo, mas agora estou rendida.


segunda-feira, 6 de junho de 2016

Estou aqui, estou aqui!

Desculpem lá a ausência, mas aproveitei o fim-de-semana para ir à praia o máximo que consegui. Diziam que o tempo não ia estar nada de jeito, mas enganaram-se! No Sábado fui até à Arrábida e esteve-se muito bem e no Domingo fui até à Costa da Caparica passar o dia todinho a torrar ao sol. Esteve um dia espectacular, até parecia mentira. Coisas boas: finalmente já tenho uma corzinha e estou menos alforreca. Coisas más: estou assim a modos que com uma tonalidade a roçar o vermelho, não me perguntem porquê. Meti protector 50+, como meto sempre e fui várias vezes à água, mas mesmo assim o meu tom quase transparente fez com que ficasse avermelhada. Nada que não se resolva com um after sun, que já pus cerca de 50 vezes.

Voltarei com novidades, looks (já amanhã!) e reviews :)


sexta-feira, 3 de junho de 2016

Ainda vou a tempo da operação biquíni?

Talvez "comece" tarde, porque já estamos em Junho, mas como a metereologia se tem portado mal e não se decide, talvez ainda vá a tempo. Como vos disse, recomecei as corridas na terça-feira com 7km e ontem voltei a correr, desta vez 10. É muito bom ver que apesar de estar um pouco fora de forma corro 10km como se fossem 5. Não quer dizer que seja fácil ou que o faça com uma perna às costas (longe disso), mas a verdade é que me custa menos do que custava antes. Talvez seja a motivação a dar-me força. Esperemos que ela não se vá embora.

No meu iPod #96


E não é que é sexta-feira? Bom dia! :)

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Look #100: skipping rocks

Thinking about something is like picking up a stone when taking a walk, either while skipping rocks on the beach, for example, or looking for a way to shatter the glass doors of a museum. When you think about something, it adds a bit of weight to your walk, and as you think about more and more things you are liable to feel heavier and heavier, until you are so burdened you cannot take any further steps, and can only sit and stare at the gentle movements of the ocean waves or security guards, thinking too hard about too many things to do anything else.

Talvez o look número 100 merecesse algo mais especial, mais em grande, mas não. É um simples look, nada de mais, mas o primeiro de sandálias este ano! Só isso já merece uma grande celebração. As sandálias foram uma das aquisições da Asos e adoro-as. São mesmo confortáveis, consegui acertar no número e foram baratinhas. Elas estão aqui, mas infelizmente reparei que estão esgotadas... No entanto, pode ser que ainda volte a haver stock! É ir espreitando. As fotos foram tiradas pela Arrábida, onde a serra e a praia se unem para dar origem a um sítio tão bom que quase não parece verdade.


quarta-feira, 1 de junho de 2016

De volta?

Até me custa dizer isto, mas há mais de um mês que não corria a sério. Mais precisamente desde a Meia Maratona. Não sei bem o que se passou, mas acho que foi a junção entre não ter muito tempo para nada, com uma inércia que se apoderou de mim e do meu corpo. Um cansaço grande e também admito que me senti um pouco desmotivada e sem vontade de correr. Diz-se por aí que isto costuma acontecer depois de fazermos uma grande corrida, penso que terá sido um pouco isso que aconteceu. Mas ontem foi o dia de voltar. Fui com a minha irmã e corremos 7km. Foram 7km difíceis e com alguma dificuldade em respirar por causa dos pólens a que tenho mil alergias. Mas até se fez bem e sinto que voltei a ter vontade de correr. Vamos lá ver se volto em força.

Feliz Dia da Criança!

Um feliz dia a todas as crianças e aos outros também! :)

Como o conceito de beleza mudou

Marilyn Monroe em 1962, quando o conceito de beleza e elegância estava muito longe de ser o que é hoje. Ontem deparei-me com estas fotos tiradas para a Cosmopolitan e fiquei mesmo estupefacta. Porque achei logo que ela estava (era) linda. Depois cheguei a esta conclusão de que as coisas efectivamente mudaram e fiquei com um bocadinho de pena.